quinta-feira, 8 de junho de 2017

Dinheiro e meditação: Duas ferrementas para a sua liberdade.



DINHEIRO E MEDITAÇÃO


DUAS FERRAMENTAS PARA A SUA LIBERDADE

  Dinheiro para a liberdade exterior e meditação para a liberdade interior.


  O dinheiro e a meditação são ferramentas para a liberdade. Essas ferramentas não são um fim, mas um meio, para o que todos nós buscamos, liberdade, paz, felicidade etc.


 

   Isso deve ser compreendido profundamente...


 

   O dinheiro irá lhe proporcionar liberdade para lidar com o mundo exterior, liberdade para comprar as pessoas e então fazer o que quiser. Ter dinheiro nada mais é do que ter o poder de comprar as pessoas. Seu tempo, seus serviços, seus bens, suas escolhas, suas liberdades...

 

 


 

   Você compra as pessoas porque elas precisam que suas necessidades sejam saciadas.


 

   O gado é uma prostituta que vende seu leite por dinheiro. E se você tem dinheiro, você compra até mesmo o gado

 

 


   Você provavelmente já se fez a seguinte pergunta: “Por que as pessoas no geral são tão vazias e apenas se importam com dinheiro e bens materiais fúteis?


 

   Simplesmente por que elas são escravas de suas necessidades e desejos.


 

   Você só é importante para o sistema se for útil para saciar as necessidades das outras pessoas.


 

   Isso deve ser compreendido...


 

   O seu ego foi criado justamente para isso, para que você seja útil para a sociedade, para você se adequar ao sistema. A sociedade define quem você é pelo que você é capaz de dar a ela. Se você vai contra a sociedade, significa que o seu ego não é adequado, não é útil para o sistema.


 

   É tudo um grande circo que você também participa.


 

   Você é seu emprego, você é o que você faz para as outras pessoas, o que você proporciona a elas. Mas esse “você” é falso, é apenas um reflexo das necessidades da sociedade, um reflexo do grande ego.


 

   Uma pessoa sofre um acidente na sua frente, ela está quase morrendo, nesse momento ela tem uma necessidade e precisa que você seja um médico, ou pelo menos entenda de primeiros socorros. Ela não está interessada em quem você realmente é por dentro, ela está interessada no que você pode proporcionar a ela. Ela está interessada nas suas habilidades que servem para saciar as necessidades dela, ou seja, da sociedade. E ela tem razão, está agindo de acordo com o sistema.


 

   O sistema funciona bem, mas tem suas falhas, e aqui nesse blog eu estou explorando as falhas da matrix, não do filme, mas da vida real.

 


 

   Para a sociedade, você é o que você pode proporcionar a ela. A sociedade não está interessada na sua busca interior, na sua liberdade interior, ela está interessada nela mesma, e ela define você pela sua utilidade.


 

   Sua namorada não está interessada em quem você realmente é, ela está interessada no que você pode proporcionar a ela, conforto, proteção, boas experiências, viagens, fortes emoções etc. Ela não está interessada em quem você realmente é por dentro, na sua individualidade. Ela é o sistema, a sociedade.


 

   Experimente parar de dar essas coisas para ela e veja com seus próprios olhos o sistema reagindo. Ela te deixando, te traindo, etc.

 


 

   Por isso que cantores, atores, artistas no geral são tão idolatrados, e tão valorizados, (muitas vezes até mais do que um médico), porque eles proporcionam emoções, servem como modelo para o ego e mechem com o desejo do gado. As pessoas criam em suas mentes uma imagem surreal dos artistas, baseado no que os artistas proporcionam a elas

 


 

   Até mesmo o desejo de ser um escravo, um servo, deve ser saciado. O gado precisa da facilidade e do conforto de deixar suas próprias escolhas de lado e seguir as escolhas de terceiros. Os pastores, líderes políticos, são necessários para saciar esse tipo de necessidade, com seus livros de regras, crenças e ideologias. Por isso eles tem tanto valor, a sociedade precisa do que eles podem proporcionar, mesmo que não seja algo físico, mas sim emocional.

 


 

   O seu valor é definido pelo que você pode proporcionar a sociedade, e você da valor ao que te beneficia, ao que é útil para o seu ego, para as suas necessidades e seus desejos, muitas vezes patéticos.


 

   Por exemplo, para você que está lendo esse texto, eu sou o que eu dei para você. Você não me conhece realmente, você não sabe quem eu realmente sou interiormente, você nem mesmo está interessado nisso, a não ser que isso seja útil para você, para o seu ego. Para você eu sou o meu trabalho, eu sou esse blog, esses textos, esses ensinamentos. Essa é uma imagem falsa e incompleta que você criou de mim, baseado em suas necessidades.


 

   Estou falando tudo isso pois o sistema precisa ser compreendido profundamente, somente assim você pode ir além do sistema, da matrix.


 

   Nenhuma sociedade está realmente interessada em sua liberdade interior, na sua individualidade, nenhuma sociedade quer que você seja realmente sábio, realmente livre. A sociedade cristã, a sociedade hindu, a sociedade muçulmana, a sociedade budista, a sociedade capitalista, a sociedade comunista, a sociedade fascista, todo o sistema exterior ao seu ser conspira contra a sua busca pela individualidade, mesmo que de forma inconsciente ou imperceptível. O grande ego não está interessado em você, NINGUÉM está realmente interessado em você.

 


 

   Isso deve ser entendido profundamente...


 

   Ninguém está realmente interessado em você, as pessoas estão interessadas no reflexo que elas possuem de você na mente delas. E esse reflexo é definido pelo que você proporciona a elas. Se você proporciona sentimentos ruins, desconforto, raiva, ódio, se o seu ego não é adequado aos desejos e necessidades da sociedade, então a sociedade irá te excluir, irá te eliminar, se você proporciona sentimentos bons, se você sacia as necessidades da sociedade com suas habilidades, com seu comportamento, você é amado, idolatrado, valorizado.


 

   O dinheiro é um meio para se aproveitar desse sistema. Com o dinheiro você compra as pessoas em troca de saciar seus desejos imundos, e assim, você ganha liberdade no sistema

 



 

   É obvio que existem outros meios para se explorar esse sistema. O dinheiro é só um dos meios. Aqui no Brasil temos um ótimo exemplo, um homem chamado Marcelo Nascimento da Rocha, conhecido por ser um dos maiores picaretas do Brasil, que se fez passar por filho do dono da Gol, entrando em festas e se aproveitando do sistema sem gastar um tostão, apenas ganhando vantagem em cima dos desejos do gado.





  Dinheiro é liberdade no sistema, liberdade para ir e vir, para comprar o tempo de vida das pessoas, para comprar o trabalho das pessoas, para fazer o que quiser

 

 

 

 

   Ele é uma ferramenta disponível em nosso sistema capitalista para a liberdade exterior.

 

 

   Mas de nada vale a liberdade exterior se internamente você é um escravo.



   Isso deve ser compreendido, a liberdade exterior e a liberdade interior são extremamente importantes nessa vida.

 

 

   Você pode ter o dinheiro que for, mas se você ainda é escravo dos delírios da sua mente, dos seus desejos, sentimentos e vícios, você não é livre.

 

 

   Já conheci muitas pessoas ricas que são escravos dos próprios desejos, dos próprios medos, das próprias limitações emocionais, das próprias memórias e experiências passadas, da própria mente.

 

 

 

 

  Para a liberdade interior a ferramenta é a meditação.

 

 

 

 

  Meditação nada mais é do que uma ferramenta que também irá te dar liberdade. Assim como o dinheiro pode te dar liberdade para viajar para qualquer lugar do mundo, a meditação te dará liberdade para viajar cada vez mais profundamente em seu próprio ser.

 

 

   O dinheiro lhe dá poder externo, a meditação lhe dá poder interno, e o seu exterior é um reflexo do seu interior.

 

  Você só compreende o valor da meditação quando você para para perceber que você é escravo de muitos dos seus processos mentais, que você não tem controle sobre eles. 

 

 

  Por exemplo, digamos que você sempre teve o sonho de viajar de avião, você conseguiu o dinheiro necessário para ter a liberdade de viajar, porém você, ao mesmo tempo que deseja, tem um medo enorme de voar, o que acaba te impedindo de fazer isso. Qual é o fator limitante nesse caso? Sim, a sua mente

  

 

  Crenças, medos, inseguranças, pensamentos limitantes, timidez, traumas, fobias, desejos, etc.

  

 

  A sua mente pode ser a sua verdadeira prisão, e a medida que você vai se distanciando dela, você vai se tornando verdadeiramente livre. E essa liberdade é indescritível.

 

  

  Mas há uma diferença entre a liberdade interior e a exterior, na busca por liberdade exterior, por dinheiro, você corre um grande risco de ser cada vez mais escravo dos seus próprios desejos, da sua própria mente, enquanto que na busca por liberdade interior você vai se distanciando cada vez mais da mente e de seus desejos fúteis

 

  

  Outra diferença é que a liberdade exterior tem a ver com a mente, com os processos da mente, enquanto que a liberdade interior é muito mais misteriosa, ela tem a ver com a não-mente, com o que está além da bolha da sua realidade.

 

  

  O ideal é o equilíbrio entre as duas liberdades. Com a liberdade interior você compreende que a mente é apenas uma ferramenta que deve ser usada para que você aproveite esse mundo, essa existência, da melhor maneira possível.

 


  Como você viu nesse artigo, eu não sou contra o sistema capitalista, muito pelo contrário, sou a favor dele. É importante que você use seu dinheiro com consciência, assim como tudo nessa vida. Aprenda sobre investimentos, sobre como fazer o seu dinheiro ou o seu negócio trabalhar para você. Entenda o sistema e se aproveite dele.

 

  

  Agora quanto a meditação, eu tenho uma boa notícia, tenho um artigo ensinando passo a passo como meditar, dê uma olhada!


    

  Para aprender a meditar passo a passo de forma fácil, acesse esse link.

 

 

  Manifesto Hacker
“Saber para prever, prever para prover”
- saiba as regras de um determinado sistema;
- saiba os limites das regras e onde os padrões estão;
- saiba que regras podem ser usadas;
- saiba como inteligentemente usar as regras para criar RESULTADOS.

Namastê

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Aprenda a não se apegar a nada...






APRENDA A NÃO SE


 APEGAR A NADA...







   Uma das maiores causas da infelicidade é o apego. Você se apega a tudo e sofre com isso. Se o seu parceiro(a) se apaixona por outra pessoa, você fica frustrado. Se alguém querido morre, você fica frustrado. O corpo adoece, envelhece, você se frustra. Se você perde um objeto que você se esforçou para conseguir, você se frustra. Se é esquecido pelos amigos, você se frustra.


   É preciso compreender que, por natureza, tudo muda, tudo está em um constante fluxo. Nada é estático. Você está querendo segurar as coisas mas elas constantemente escorregam dos seus braços. Você está querendo segurar o rio mas ele continua fluindo, a correnteza não para por um minuto...

 

 


   Você precisa entender profundamente que tudo é passageiro, até você mesmo. Até seu corpo é passageiro, e vai durar muito pouco, em média 70 anos, quase nada. Mas a sua mente quer se agarrar as coisas para sempre...


   A sua própria mente cria esse desejo, e ela mesma sofre com o que ela criou. A própria mente fica apegada por ela mesma.


   Entenda profundamente...


   Quando você conhece alguém, e você começa a se relacionar com essa pessoa, é natural que você crie milhares de expectativas em cima dela, você começa a se apegar aos poucos...


   A sua mente cria uma imagem do que é essa pessoa e ela se apega a essa imagem.


   Sua mente não se apega a pessoa real, pois isso é impossível. Você não conhece ninguém realmente, você conhece o que lhe é mostrado, o que é possível saber. Se a pessoa pensa em te trair, se ela pensa em te matar, mas não demonstra isso, então para a sua mente isso não faz parte da imagem que ela criou sobre essa pessoa.


   Entendeu?

 


   João se apaixonou por uma garota, ele então criou uma imagem dessa garota na mente dele, onde na imagem, a garota é educada, amorosa, inteligente etc. João cria milhares de delírios em cima dessa imagem, a mente dele começa a se apegar a garota, mas não a garota em si, mas sim a projeção que a mente dele criou sobre ela baseado no que ele viu. Na verdade essa garota é totalmente o oposto do que João acreditava. A garota real não tinha nada a ver com a garota que estava na mente de João, então eu pergunto, por quem João se apaixonou?


   Pela própria mente. Pelos próprios delírios.


   Você precisa estar consciente sobre isso. Quando você se apega a alguém, na verdade você está apegado a sua própria mente. A sua mente cria uma imagem falsa do que ela acredita ser real baseado apenas no que é possível que ela saiba

 


   Por isso é impossível para alguém consciente criar expectativas. Ele sabe que não pode levar sua própria mente a sério. Ele simplesmente não espera nada de ninguém. Muito menos que a pessoa irá ficar com ele “para sempre”.


   Agora você já deve estar compreendendo...


   Você não se apega a nada a não ser seus próprios pensamentos, suas próprias projeções, suas próprias imagens, sua própria mente. E a sua mente tenta criar um reflexo da realidade, mas esse reflexo é falso. Você se apega por esse reflexo

 


   Comece a correr com o rio, mas não tente segurar o rio. Se estiver namorando uma pessoa, aproveite cada momento, mergulhe profundamente nos sentimentos bons que ela te proporciona, mas não crie nenhuma expectativa, não se apegue, apenas deixe a correnteza fluir...


   Se está com um amigo, não queira ser o proprietário dele, você não é dono de ninguém. Todo indivíduo deve ser livre, totalmente livre. Toda posse é uma ilusão. Então deixe que ele desapareça da sua vida, deixe que o rio leve ele para seu destino desconhecido, e fique totalmente grato por ele ter passado em sua vida, pela correnteza da existência ter feito com que vocês se conhecessem.


   Essa é a beleza da vida, tudo muda constantemente, em rumo a um objetivo desconhecido, apenas deixe as coisas serem como são. Se há algo feio, algo desnecessário, esse algo é o apego. Pois ele não é baseado na verdade mas sim na mentira, na ilusão.


   Pare de se apegar, pare de levar os delírios da mente a sério. Se torne o rio, se torne a correnteza. Você está preso nos delírios de sua própria mente. 

 


   A partir do memento que você toma consciência disso, algo de mágico acontece na sua vida. De repente você se sente livre, de repente toda a infelicidade proveniente do apego desaparece.


   Se ainda não leu, leia o meu artigo sobre meditação para começar uma rotina prática, a meditação é uma ferramenta, uma muleta, para que você comece a se tornar consciente: Clique aqui para ler!

   Adicione o blog aos seus favoritos para continuar acompanhando as postagens, deixe seu comentário e até a próxima!

 

 

Namastê!