quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

COMO MEDITAR, PASSO A PASSO!


 COMO MEDITAR PASSO A PASSO!

 

  Gostaria de começar esse artigo importantíssimo dizendo que esse blog é apenas um rascunho do que eu planejo criar no futuro. Meu objetivo é que mais e mais pessoas comecem uma viagem interior, observando seus próprios pensamentos e comportamentos defeituosos. Talvez assim a sociedade melhore um pouco, já que muitos problemas do mundo existem justamente por uma educação péssima (ou nula) que as pessoas possuem de auto observação e controle emocional, fazendo com que elas sejam egoístas, ansiosas, impulsivas, depressivas, tímidas, ciumentas iiihh a lista é grande..

  Para que a sociedade mude, primeiro é preciso que cada indivíduo mude.

 

   Se eu conseguir convencer uma única pessoa a ser corajosa a ponto de iniciar uma viagem interna em busca da verdade, o meu trabalho já terá sido cumprido.

 

    Esse artigo mesmo sendo breve e visando passar um conhecimento básico, já será útil para que você comece a prática da meditação. Portanto leia até o final e busque compreender profundamente.
  A meditação que eu passo aqui, é uma técnica, um meio, muito poderoso, para que você comece a estar cada vez mais consciente dos seus processos físicos e mentais, de forma a não ser mais guiado cegamente pelos seus impulsos emocionais, crenças limitantes, hábitos, reações automáticas a um determinado estímulo e pensamentos indesejáveis que circulam em sua mente. É uma técnica, um utilitário, que te permite treinar, estar o máximo possível em um estado de consciência. Ela pode ser extremamente útil caso você tenha ansiedade, depressão, vícios, ciúmes e apego excessivo, hábitos prejudiciais, impulsos ou desvios sexuais indesejáveis, traumas do passado, timidez, etc.

 

  Então vamos lá, está pronto para se tornar livre da sua maior escravidão?

 


   A mente humana evoluiu bastante criando tudo que vemos hoje em nossa volta, toda tecnologia, todas as construções, toda a ciência. Porém quando se fala de comportamento e auto observação, parece que ainda estamos na idade da pedra, poucas pessoas no mundo se aventuraram nessa área tão importante...

 


  Basta observar como as pessoas se comportam hoje em dia e você ficará assustado ao perceber que agimos de uma maneira muito semelhante a cachorros e chimpanzés (às vezes até pior). Fazemos as coisas sem nenhuma consciência de nossos atos. Nos jogamos em vícios, um atrás do outro, e agimos de uma forma totalmente automática, como robôs programados. Somos escravos de nossos pensamentos, sentimentos e impulsos, de nossos instintos mais primitivos sem ao menos parar e tomar consciência desse fato.

 

  Você não é livre ainda. Você é escravo da sua própria mente, dos seus próprios sentimentos, instintos, memórias, traumas, ilusões, impulsos, vícios, crenças, etc.

  A sociedade no geral, o sistema, não quer que você seja livre. Ele não quer que você se torne uma pessoa sábia. No momento que você se torna sábio, no momento em que você começa a observar a sua mente respondendo por você, você para de agir a mando dela e se torna o mestre, não o escravo.
 

 

    Se as pessoas se tornam sábias, se elas se tornam conscientes dos seus impulsos, de que elas estão sendo manipuladas, quem irá comprar as besteiras que a sociedade tenta te enfiar goela a baixo? Como a sociedade terá controle sobre você? Ela pode ter controle sobre a sua mente, sobre o seu corpo, mas não sobre a sua consciência. Um manipulador que lucra em cima de sua inconsciência, não quer que você acorde.

    Uma coisa deve ser compreendida...

    Na maior parte do tempo, não é você que está no controle, mas sim a sua mente. E a sua mente é um reflexo da sociedade, ela não é você, ela está a parte de você. Por que ela não é você? Porque você consegue observar ela, você consegue perceber seu funcionamento, estar consciente dos seus pensamentos. Se você consegue observar o computador ou o celular em que você está lendo isso agora, significa que você não é esse objeto. Ele é observável, então está fora de você. O mesmo vale para a mente, pois a mente nada mais é do que processos, pensamentos e sentimentos, que podem ser observados, percebidos.

   Nesse artigo, para fins práticos, entenda a palavra “mente” como todos os pensamentos e sentimentos que podem ser percebidos, e “consciência” como o observador, aquele que percebe a mente.

   Feche um pouco os olhos e tente prestar atenção nas imagens, sons e sensações que formam sua mente, perceba que é possível observar essas coisas acontecendo e elas na verdade estão separadas de você, o que observa.
 


 

   Aproveitando essa experiência, percebe essa voz enjoada que sempre está falando dentro de você? pare um pouco e preste atenção nela. Agora tente silenciar ela, tente fazer ela parar de falar. Não consegue?

   Você não consegue porque sua mente está no controle. Aposto que é muito difícil para você controlar também as imagens, os sentimentos, os impulsos, os vícios...

   Sua mente age por você na maior parte do tempo, ela responde por você automaticamente. É como se ela estivesse no volante e você no banco de carona. Mas calma, não tente parar a mente bruscamente.

   Uma coisa deve ser compreendida, a mente é um mecanismo morto, automático, robótico. Ela não é espontânea, ela só repete padrões, ela segue o caminho que ela já seguia antes. Ela é presa as regras que regem o funcionamento dela.


  O interessante é que após essa percepção, você para de levar sua mente a sério, suas crenças, seus pré conceitos, seus desejos, seus conhecimentos, tudo que envolve sua mente deixa de ser importante pois você percebe que tudo isso pode ser falho, mecânico, superficial e o mais importante, não é você.

   Por fim você se dá conta de que a mente é uma ferramenta de sobrevivência, você usa dela para saborear o mundo, a mente é uma extensão dos seus sentidos e deve ser usada pela sua consciência. É o fenômeno que te permite experimentar o mundo que você está percebendo agora.

   Você precisa ser o mestre, e a mente sua escrava. 

   O importante de início é você começar a praticar a observação da própria mente para que você perceba essas coisas por si mesmo naturalmente. A esse exercício damos o nome de:

                                                   MEDITAÇÃO


 



  Mas antes de passar as dicas de como praticar a meditação, quero deixar claro algumas coisas...

  A meditação que eu falo aqui não é a meditação do senso comum, aquela que você aprende na TV, ou em artigos de Yoga. Ela não é focada na concentração em um ponto qualquer ou em um objeto, nem mesmo em mantras.

  A concentração é sim muito importante, e a meditação convencional é útil para relaxamento. Mas o foco aqui é a pura observação dos seus processos físicos e mentais, de forma a ter a percepção de que você está além deles e que é possível não seguir cegamente seus comandos.

  Outra coisa, de maneira alguma a meditação que passo aqui tem algo a ver com crenças religiosas. Então se você é cristão por exemplo, pode praticar sem medo.

 PASSO A PASSO PARA MEDITAR:
 




 

  Primeiro é importante que você crie o hábito de meditar, como o de escovar os dentes, para isso, pegue uma folha em branco e escreva de 1 a 30 nessa folha, esses são os dias que você irá meditar, para cada dia que você concluir o objetivo, marque na folha. Caso você ache que isso é muito brega, baixe um aplicativo de gerenciamento de hábitos na PlayStore por exemplo caso você use Android.

  Procure meditar em um lugar que você não vai sofrer interrupções e que ninguém vá te atrapalhar no meio do processo.

  Sente-se confortavelmente, uma boa posição é a de Lotus (pesquise no Google ou no Youtube como fazer), porém, caso você não se sinta confortável nessa posição, encontre uma posição que você se sinta bem. O ideal é que você esteja em uma posição confortável. Só evite meditar deitado pois você pode cair no sono.

 

  Determine um limite de tempo para a meditação. Crie um alarme no seu celular para que ele apite na hora certa, evitando que você deixe de meditar para ficar olhando o horário. O ideal é 15 minutos ou mais de meditação por dia. Com o costume você pode meditar 30 minutos, 1 hora, 2 horas, ou o tempo que conseguir.

 

  Faça tudo que precisa fazer antes de inciar a meditação, para não se tornar uma distração depois. Beba água caso esteja com sede, vá ao banheiro caso esteja com vontade, vá comer algo caso esteja com fome, etc.



   Feche os seus olhos, fique em um lugar silencioso ou use um protetor auricular (costuma ser vendido nas farmácias, pesquise no google o que é) ou em último caso, coloque um fone de ouvido com sons da natureza para impedir que os barulhos externos te atrapalhem (você encontra no YouTube, mas aconselho um aplicativo para Android chamado “Sons da Natureza”).


 

 

    1. Antes de tudo, caso você tenha uma crença de que não consegue meditar pois é muito agitado, ou simplesmente não consegue perceber nenhum pensamento em sua mente ainda (sim, existem pessoas que vivem tão no automático que nem percebem de onde surgem os comandos que geram suas ações, geralmente são pessoas muito extrovertidas, nunca perceberam uma voz interna ou uma imagem interna por exemplo), nesse caso, não comece pela observação de um processo mental, mas sim físico. Como por exemplo sua respiração.

  Comece a ficar consciente de sua respiração, perceba o movimento do seu peito ao respirar, o ar entrando e saindo em seu nariz ou em sua boca. Sempre que sua atenção se perder, e a respiração começar a acontecer sem que você esteja consciente dela, no automático, volte novamente sua observação para a respiração.

   Você não precisa respirar profundamente, apenas esteja consciente de sua respiração normal. Com esse exercício, será mais fácil começar pouco a pouco a perceber sua mente, pois nesse processo de parar e observar sua respiração, você irá ficar mais calmo, facilitando a observação de processos que ainda não tinha percebido no seu corpo. E mesmo que não fique calmo, mesmo que sua mente fique inquieta, ainda sim será mais fácil perceber a ação dela em você.

   Se você for extrovertido, comece com essa técnica, sempre que for meditar, comece com a percepção da sua respiração. A respiração é um reflexo de seus sentimentos, é muito importante estar consciente dela. Quando você está ansioso, com raiva, triste, ela está de um jeito, quando você está calmo, alegre, ela está de outro. Com o tempo você estará consciente da respiração até quando estiver andando na rua, ou em qualquer outro momento do seu dia a dia.

  2. Agora, para quem já quer começar pela observação dos processos mentais, os pensamentos e sentimentos, entenda que no inicio da prática de meditação, (primeiros 10 minutos) sua mente ainda vai estar muito frenética e sua consciência muito instável, sua mente irá tentar te fazer abrir os olhos várias vezes. Persista! Você pode fazer pausas de 1 minuto se achar necessário, e em seguida retomar a meditação.
 
   Nesse primeiro momento é muito importante que você observe esses pequenos impulsos da sua mente e as pequenas reações no seu corpo querendo te forçar a parar a meditação. Aquela coceirinha no seu braço ou na sua perna, aquela pequena vontade de fazer uma outra tarefa que você programou para fazer daqui a pouco, aqueles pequenos devaneios que a sua mente te joga, aquelas projeções ilusórias do futuro ou memórias que surgem do nada, a voz incessante em sua mente, as imagens que surgem na sua tela mental. 
 
   Observe tudo isso de forma indiferente, como se todos esses pensamentos e reações não fizessem parte de você. Como se você estivesse vendo um filme e essas coisas estivessem acontecendo na tela da TV e não em você. Isso é muito importante, NÃO REAJA A NADA. Não é você de fato que quer parar de meditar nesse momento, mas sim sua mente, observe ela se “debatendo” quando está sendo observada.

   Deixe acontecer, não tente parar e não faça o que a mente manda, simplesmente observe, parado, só o ato de observar faz com que o pensamento perca a força por si só. Não mova um músculo sem estar consciente de que a sua mente está fazendo isso por você automaticamente, sem que você queira.


  O praticante iniciante geralmente para a meditação por aqui, pois gasta muita energia somente para controlar, ou parar esses impulsos iniciais da mente.
 
  Na verdade, na prática da meditação você não deve buscar silenciar ou eliminar um pensamento, nem mesmo controlar, ou reprimir. Você não deve desperdiçar energia nos pensamentos e sentimentos, pois quanto mais você busca eliminar ou reprimir um pensamento, mais você reforça ele. O que você deve fazer é apenas observar, estar consciente do pensamento, sem fazer nenhum julgamento se ele é bom ou ruim, e naturalmente ele irá perder a força.

  Para quem não tem muita prática pode parecer difícil entender esse conceito, mas você pode experimentar isso agora mesmo, ao prestar atenção em sua respiração. Perceba que só de estar consciente de que está respirando, você já ganhou total controle desse processo. Não precisou gastar nenhuma energia, não precisou fazer nenhum esforço. Pouco a pouco, com a prática, o mesmo fenômeno irá acontecer com os pensamentos e sentimentos.   

 

 

 3. Com a prática, e após algum tempo de meditação, esses impulsos iniciais da mente estarão mais fracos. Mas aproveite esse momento para observar as reações ainda mais sutis, que geralmente funcionam no piloto automático, da sua mente e do seu corpo. Como por exemplo a sua atmosfera mental, ou seja, seu estado emocional no momento, que pode ser um estado de tristeza, de vazio, de angústia, de raiva, ou até mesmo de felicidade. observe tudo, até os sentimentos mais sutis que geralmente funcionam em “segundo plano”.

   Perceba a sensação dos seus sentimentos em seu corpo. Perceba os desejos e impulsos aflorando. Perceba os pensamentos surgindo e sumindo na superfície da sua mente, como propagandas de sites, pop-ups. Perceba também as pequenas estórias, as vezes sem nenhum nexo, que sua mente cria com seus pensamentos, talvez criando uma expectativa falsa de como será o futuro, ou pensando no que você deveria ter feito no passado em uma determinada situação. Sua mente geralmente transita entre memórias de um passado que não existe mais e delírios de um futuro imaginário que não irá existir. E é nesse momento que você percebe que só existe o agora, ele é tudo que você tem.


 

 

  4. Quando estiver mais experiente na prática da meditação, quando estiver mais consciente dos seus processos físicos e mentais, comece a trazer de forma proposital as memórias de momentos traumáticos, de estímulos que geram uma reação indesejada, ou impulsos emocionais automáticos, para a superfície da sua mente. Observe esses processos até que eles percam a força pouco a pouco. Seja corajoso para observar suas crenças enraizadas, suas verdades, suas memórias que te afetam até hoje, seus impulsos instintivos e parafilias. De novo, faça isso somente quando estiver algumas semanas, ou meses, de prática.

 

 

    5. A meditação que passei aqui é apenas uma técnica, uma ferramenta, para que você esteja mais consciente no seu dia a dia, para que você comece a viver no agora. Com a prática, pouco a pouco você estará em um estado profundo de consciência mesmo quando não estiver meditando. No seu trabalho, na sua escola, no sexo, em uma viagem, etc. Você estará realmente vivo. Você tem dormido a vida toda, vivido em um sonho, e por meio da meditação, você pode acordar. A meditação é como um despertador, ela serve para que você acorde e permaneça em um estado de consciência. Ela é um meio para um fim, que é o despertar.

   Claro que este artigo é apenas uma introdução, e pode não servir para todos, alguns irão precisar de ajuda especializada. Para isso tenho o meu canal no YouTube, e futuramente irei trazer mais conteúdos úteis para te ajudar a despertar e começar a viver mais consciente.


   Se lembre de sempre que possível, divulgar a meditação, seja para os seus amigos, parentes ou conhecidos. Na internet ou fora dela. A meditação é uma necessidade nos dias de hoje que pode fazer muita diferença. E esse artigo pode ser o que muitos precisam para iniciar a prática da maneira certa. Acredito que até o momento é o mais completo do brasil. Faça um backup do artigo se puder.



 

 

  Adicione o blog aos seus favoritos, divulgue esse artigo, compartilhe, se lembre, esse artigo não é apenas para você, muita gente precisa dele. Leia os outros artigos do blog e me siga no canal do Youtube.

 Namastê