terça-feira, 1 de maio de 2018

O que você possui, acaba te possuindo...



O que você possui, 

acaba te 

possuindo...





Antes de continuar lendo, se inscreva no meu canal no YouTube para receber conteúdos GRATUITOS e ainda melhores!!! CLIQUE AQUI 



  É complicado ser minimalista, consumir menos, nos dias de hoje. Justamente pela quantidade absurda de pensamentos e desejos que são programados em sua mente todos os dias. Somos bombardeados todos os dias com propagandas e mais propagandas de todos os tipos. A sociedade nos torna escravos de nossos próprios sentidos de uma forma cada vez mais sofisticada. Muitas pessoas são enganadas pela mídia, pelas propagandas, existe todo um mecanismo na sociedade para que você acredite que comprar mais, ou comprar aquele produto específico, irá fazer de você uma pessoa mais feliz, uma pessoa de sucesso, ou irá fornecer sentido a sua vida.






  E hoje em dia o incentivo ao consumo é muito mais perigoso, é subliminar, está nos filmes, nas séries, nas novelas, nos vídeos da internet, nos sites, em blogs, nas ruas do seu bairro, nas conversas com os amigos, nos seus próprios sonhos enquanto dorme em sua cama, nos seus desejos e sentimentos. Todos estão vendendo para você um ideal. A sociedade está constantemente dizendo o que você deve consumir, o que deve sonhar em ter, em que você deve desperdiçar o seu tempo. E as pessoas se tornaram escravas de coisas, não é mais necessário um humano para ser o seu dono, nem mesmo um animal, porque não um objeto? Uma casa, um carro, uma roupa, um livro, um computador, um videogame, uma cadeira, etc. As pessoas vendem sua vida por coisas que sonham em possuir no futuro e acabam sendo possuídas pelo desejo de possuir.





  Um dos motivos que gera o consumismo em excesso é a aceitação social. As pessoas precisam ser aceitas, e sabem que quanto mais dinheiro tiverem, quanto mais bens, maior é a sua aceitação social. Então as pessoas trocam milhares de horas trabalhando, sendo exploradas, mal tratadas, por esse prêmio, a aceitação de outras pessoas. Funciona assim, você é escravo da aceitação das pessoas, e as pessoas são escravas da sua aceitação. Todos são escravos do próprio ego. E você precisa comprar coisas, você precisa impressionar a sociedade, você precisa ser uma atração no circo, pois assim será amado, desejado, invejado, você precisa trabalhar duas vezes mais, precisa se estressar muito mais para ganhar mais e comprar mais coisas, somente assim as pessoas irão se interessar por você, irão aceitar você. Esse é o hospício em que vivemos.






  Coisas não darão sentido a sua vida. Não farão com que você seja uma pessoa feliz. Veja a sociedade como está, se tornou um grande teatro, todos fingindo estarem felizes enquanto vivem uma depressão profunda. Vez ou outra nos deparamos com notícias de que algum milionário se matou. Você trabalha como um escravo, mais e mais, troca milhares de horas de sua vida, por coisas que não precisa. Por coisas que não significam nada. E esse ideal, esse sucesso, não parece estar dando certo, parece ser um grande erro, uma grande ilusão, pois as pessoas ficam ainda piores, se perdem ainda mais.






  O sistema quer fazer você engolir coisas que não precisa, e eles estão estudando formas de fazer você comprar mais e mais! Eles entendem como o seu cérebro funciona. Você pode não entender, pode estar dormindo, totalmente desinteressado no assunto, mas existem pessoas muito interessadas, os marqueteiros, os golpistas e aproveitadores, as grandes corporações e indústrias, e fazem de tudo para transformar você em um escravo mais eficiente. Para algumas empresas você é a mercadoria. O sistema é um verdadeiro hospício, um louco se aproveitando de outro louco. Todos estão inconscientes das suas próprias ilusões, mas sabem que você está dormindo, sabem que você é escravo de seus delírios e desejos, podem não saber que eles estão dormindo, mas sabem que você está. Nesse mesmo momento estão buscando formas de cavar mais fundo em seus sonhos, para que você compre o produto que eles irão vender. E estão conseguindo. Cada dia que passa as pessoas consomem mais , na maioria das vezes desnecessariamente.





  Isso deve ser profundamente compreendido. Hoje em dia o sistema tem muito mais controle sobre a sua mente do que você mesmo. Ela é mais deles do que sua. Seus sentimentos, seus desejos, seus sonhos, suas ações, suas identificações, pertencem ao sistema e não a você. E se você é escravo dos seus sentidos, da sua mente, você é escravo do sistema que é dono da sua mente.





  O minimalismo é algo que surge naturalmente com a consciência. No momento em que você percebe que não precisa seguir as ordens da sua mente, que ela é esquizofrênica, que ela é uma ferramenta que tanto você quanto terceiros podem usar, como você ainda poderia ser levado por ela cegamente? Pelos desejos que ela cria? Isso só poderia acontecer em um estado de inconsciência, não de consciência. Por isso eu não sigo o minimalismo como uma filosofia, eu não me forço a ser minimalista. É algo que vem naturalmente. Se não há desejo, se o desejo é percebido como um processo ilusório da mente, se ele é observado como o que realmente é, então não há motivos para querer satisfazer essa loucura.






  Veja bem, não estou me forçando a deixar de consumir as porcarias que a sociedade tenta nos fazer engolir a todo instante. Não estou me revoltando contra o sistema, nem mesmo me reprimindo como um padre ou um santo. Estou apenas observando o processo mental que conhecemos como desejo. Uma vez que esse processo é compreendido, ele perde totalmente a força sobre você, todo o valor dele desaparece. Ainda posso consumir o que eu quiser, mas desde que eu esteja consciente da ilusão por trás disso, do sonho.






  A sua mente está constantemente insatisfeita. Ela sempre quer mais, é escrava dos sentidos, e não há um fim. Isso deve ser compreendido. Você está preso em um círculo vicioso, em uma armadilha, enquanto estiver dormindo, inconsciente. E isso pode durar sua vida inteira. É como se você estivesse preso na cadeia a vida inteira, em uma prisão perpétua! Você pode chegar até os 99 anos, e mesmo assim sua mente estará a todo vapor, funcionando como um cachorro correndo atrás do próprio rabo. Talvez os sonhos tenham outra forma, talvez com 99 anos você não esteja desejando transar com a sua vizinha, ou comprar um carro novo. Talvez com 99 anos você esteja desejando o paraíso, os produtos que poderá usar no céu. Seu sonho, sua ilusão, poderá ser diferente, mas só a forma muda, o processo é o mesmo. São como nuvens no céu, cada uma tem uma forma diferente, mas sua composição é a mesma. Parecem bem sólidas de longe, de fato, olhando de longe parece que você pode subir em uma nuvem e pular em cima dela como em um colchão! Mas se você observar com um pouco mais de atenção, de consciência, verá que não há solidez ali. Assim são os desejos, assim são os processos da mente. Eles não são sólidos, acorde!







  Eu insisto que não leve o minimalismo como uma filosofia de vida, não pense que irá encontrar a felicidade consumindo menos, assim como não irá encontrar consumindo mais. Reprimir desejos só os torna mais forte, só os faz ser um sonho mais real para você. Se continuar reprimindo, chegará em um estado tão avançado de sono, que será quase impossível perceber que a nuvem não é sólida. E então irá se tornar um escravo da mente, e consequentemente do sistema. Deixe que o minimalismo surja em você naturalmente, como um nascer do sol, e isso acontece quando você se torna mais consciente. Não reprima, entenda todo o processo, observe, e o desejo desaparece.







  Passe a observar seus desejos, porque você consome o que consome? Porque você deseja o que deseja? Será que você está mesmo no controle? Ou há uma ilusão de escolha? Ou os seus desejos não são realmente seus? Ou seus desejos são uma ilusão? Foram implantados em você? Não fique pensando sobre isso, apenas observe, sem nenhum falatório mental, sem nenhum julgamento verbal, apenas se torne consciente, deixe que a luz entre pela janela e ilumine o quarto escuro que você costuma ignorar. Quando for comprar um cigarro por exemplo, ou uma latinha de Coca-Cola, ou até mesmo quando estiver perdendo tempo em alguma rede social ou assistindo a algum vídeo pornô na internet, pare imediatamente e perceba se está realmente acordado ou não. Quem está agindo por você? Quem está no volante indo em direção ao precipício? Esse simples ato de observar irá fazer você acordar. Não existe hábito que permaneça intacto após uma profunda e constante observação. Por um simples motivo, todos eles são um delírio, não fazem parte de você, e quando observados caem como folhas secas de uma árvore. Sejam eles compulsões sexuais, comportamentos indesejados, ansiedade, timidez, raiva, ou até mesmo o consumismo compulsivo!




  Então esse é o ponto principal que deve ser compreendido sobre o minimalismo, ele deve florescer naturalmente em você, não pode ser forçado. Ele precisa ser fruto da consciência para que seja puro, verdadeiro. Com a observação, naturalmente você para de criar apego pelas coisas, você para de projetar valor nas porcarias do sistema. 






  Quero deixar bem claro que não sou contra o capitalismo. O sistema capitalista por si só não é ruim. É um sistema bem funcional. O único problema, em qualquer sistema que seja, é que as pessoas estão dormindo. A inconsciência é o único problema.





  E você leitor, anda consumindo em excesso e gastando todo o seu dinheiro com bobagens? Como lida com o seu cartão de créditos? Você é minimalista? Deixe o seu relato.





  Adicione o blog aos seus favoritos e faça a sua parte, compartilhe o blog, não seja egoísta.






  Faça parte do canal do blog no Telegram (uma das poucas redes sociais que aparentemente ainda defendem o seu direito a privacidade) e fique ainda mais atento aos novos artigos!  Clique nesse link: https://t.me/muitoalemdamente


   Assista o vídeo abaixo como complemento a esse artigo.











Namastê!

10 comentários:

  1. Gostei da reflexão.

    Realmente, o consumo excessivo não traz a felicidade assim como o minimalismo. Devemos achar o equilíbrio entre os dois.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem é questão de encontrar um "equilíbrio" meu chapa. Como ja foi dito aí, é questão de estar totalmente consciente do que está fazendo, seja em que situação for, sem ser tomado por reações automáticas. Sem buscar sentido nas coisas, usa-las apenas para fins práticos, e não busca-las por apego, necessidade de uma identidade, ou carências dos processos mentais. E felicidade, o que é felicidade senão uma utopia/ Felicidade depende de coisas as quais você considera "positivas", e isso é condicionamento subjetivo..E quando dualiza algo, o sofrimento ja estará incluído, cedo ou tarde. Precisamos de plenitude e mindfulness, não de felicidade.

      Excluir
  2. Excelente! É triste ver os ratos onde trabalho que só vivem falando em comprar carros caros, modelos novos e etc sendo que ganham 1 milão por mês... vivem só na ilusão de que isso os fará felizes, enquanto trabalham de sol a sol sem viver a vida...

    Compartilhei seu texto na minha página, abraço!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto, sou muito fã da sua escrita e você tem nos ajudado muito. Se puder responda uma dúvida:
    Existe uma linha muito tênue entre transcender os desejos compulsivos (sejam eles de ego ou sexuais,ou os dois) e reprimir. Para quem não tem muito conhecimento sobre o assunto creio que fica muito difícil diferenciar essa prática na própria meditação e acredito que seria de muita utilidade se você nos acrescentasse com o seu conhecimento a respeito desse assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Reprimir é lutar contra o desejo, tentar esconder o desejo de alguma forma. Mas isso nunca funciona, o desejo continua lá. Pode estar escondido, pode estar até mesmo nos seus sonhos quando vai dormir, mas você continua identificado com o desejo. Transcender é compreender a composição do desejo, é observar que ele é apenas um pensamento, não faz parte de você, você não precisa se identificar com ele. Você não irá lutar contra ele, nem vai tentar colocar o desejo em baixo do tapete, não vai esconder de maneira alguma, vai apenas observar, sem nenhuma voz mental, sem nenhum julgamento se ele é bom ou ruim. Nesse processo de observar o pensamento, o desejo, ele perde toda força. Pois o que pode ser observado não faz parte de você, não é você. É algo externo. Pode fazer parte da mente, da sociedade, do sistema, mas de maneira alguma faz parte de você. É no silêncio do observar que a transformação acontece. Que a limpeza acontece. Você simplesmente para de se identificar com o desejo e ele perde o poder sobre você. A consciência é a chave, apenas esteja consciente da sua mente, dos seus pensamentos, e das reações do seu corpo, de repente você percebe que não era você de fato que estava desejando, era qualquer coisa menos você. E assim o desejo cai naturalmente, a falsa identificação desaparece. Um exemplo simples para você entender. Pare agora mesmo e esteja consciente de sua respiração, perceba seu processo de respiração. Veja que agora você controla sua respiração. Antes estava no automático, como uma máquina apenas, você não estava presente. Agora você está presente, está consciente, e naturalmente fica no controle. Não é necessário esforço algum, nenhuma repressão.

      Excluir
    2. Muito obrigado, me ajudou muito.

      Excluir
  4. volte para o irmandade man.
    meu único consumismo é jogos de pc , compro um a cada 2 messes mais ou menos, preciso me anestesiar as vezes

    ResponderExcluir