quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Se encontre na experiência da morte.





SE ENCONTRE




NA




EXPERIÊNCIA




 DA MORTE.






 

  Gostaria de lembrar que enquanto você lê esse texto patético, você está morrendo lentamente, seu corpo está apodrecendo a cada segundo que se vai em sua existência, então como você não tem mais nada de bom para fazer, continue lendo...



  Na verdade você já está morto e não percebeu. Você vive como se não estivesse vivo. Você respira mas não vive sua respiração. Seu coração bate em vão. Sua vida é robótica, mecânica, ilusória. Você não passa de uma máquina biológica com alguns programas ultrapassados para fins de sobrevivência instalados há milhões de anos que só servem para te lembrar da agonia de experienciar o que você chama de vida.


  Com olhos abertos ou fechados, isso não faz diferença, você continua em um pesadelo, em uma ilusão que você, no fundo, sabe que é sua realidade atual, mas você não pode fazer nada pois está preso em sua própria gaiola.


  Você não sabe qual é o sentido da vida, então você tenta desesperadamente criar algum sentido, seja começando a amar alguém, seja adotando um cachorro, ou até mesmo se viciando em algum lixo qualquer. Tudo isso em vão.


  Você está desesperado, agoniado.


  Os ponteiros do relógio se movem rapidamente, e com isso, suas possibilidades de viver escorrem em sua mão como sangue. Seus poucos anos de vida pela frente passam mais rápido que um trem bala, e mais despercebidos do que os passos da morte em sua direção.


  Tudo é em vão, tudo é falso, tudo é patético, tudo é ilusório, tudo é hilário.


  Você tenta dar valor a coisas idiotas, compra um monte de porcarias, se entope de alimentos tóxicos, se prende a relacionamentos passageiros com pessoas tão perdidas quanto você, se vicia em pornografia. Não importa o que você faça, o vazio continua dentro de você, você se tornou o vazio.


  Você se apega a memórias de um passado distante em que você acreditou que de alguma forma ainda estava vivo, ou até mesmo a uma expectativa ilusória de um futuro onde estará vivo, onde será feliz e irá realizar seus sonhos ridículos programados em sua cabeça por uma sociedade esquizofrênica.


  Você começa a achar que deve ser de alguma forma especial, acredita que de alguma forma, você não é só mais um macaco domesticado e manipulado pelo sistema como o resto da humanidade, mas você é, e não consegue fugir disso.


  Você já parou para perceber o quão patético é o seu trabalho, seus estudos, seus relacionamentos, seus sonhos, sua religião, suas crenças, suas opiniões, sua vida?


  É por isso que você teme tanto a morte, como pode não temer? Você nem mesmo conheceu a vida, você nem mesmo sabe o que é a vida, e a morte já está vindo. Ela virá a qualquer momento e você não está preparado...


  Você está o tempo todo se preparando para a vida, a morte virá, e você ainda estará na fase de preparação.


  Você nem mesmo sabe quem é você. Você está desesperado tentando criar uma personalidade sólida, uma definição de quem é você. Está fazendo isso desde que começou a ser domesticado pelos outros macacos, e quando finalmente se convencer de que “se encontrou”, quando tiver finalmente montado seu castelo de areia, a morte virá como as ondas do mar, fazendo você voltar ao seu estado inicial.


  Tudo foi em vão. Tudo será em vão.


  Você não é o seu ego. Você não é suas crenças, suas memórias, seus pensamentos, tudo isso não pertence a você, tudo isso não é você. Pare um minuto para observar. Seus pensamentos realmente pertencem a você? Quem está por trás deles? Você é um vazio enorme por trás disso.  

 

  Você já está morto e não percebe porque está preso na ilusão do que pensa ser a vida.

    

  Ter um coração batendo é estar vivo? Ter um cérebro funcionando é estar vivo? Uma máquina funcionando está viva ou morta? Pense sobre isso.


  

  Se você parar para pensar, a morte é o estado de existência que precedeu o seu nascimento e que voltará a ser você após o seu nascimento. A vida é só uma ilusão passageira entre uma morte e outra.


   A percepção da morte irá lhe trazer liberdade, irá fazer você lembrar que não tem nada a perder, que nada realmente pertence a você, nem mesmo o que você acredita ser você pertence a você. De repente você percebe que a vida é uma brincadeira, sem ganhadores, que nada deve ser levado realmente a sério.


  Aos poucos as ilusões vão se esvaindo, sua timidez vai desaparecendo, sua rebeldia vai crescendo, seus medos vão se tornando motivo de risos. Afinal, como ter medo do seu verdadeiro estado de ser? A morte é o seu verdadeiro estado de ser. O ego não é, mas a morte é.


  Você nunca irá se encontrar buscando você mesmo no lixo que a sociedade implantou em sua mente.


  Se encontre na experiência da morte.


  E essa experiência pode ser obtida por uma meditação profunda. Leia aqui meu texto sobre meditação.


  De repente você para de se importar com tudo, inclusive se está morto ou vivo, pois ambos passam a ser o mesmo estado para você, um estado maravilhoso e libertador. Um estado que torna você finalmente livre. Se entregue a isso. Perca todo o medo.

 

  

  Deixe o seu comentário para me motivar a continuar escrevendo nessa merda de blog. 

 


 

Namastê.



15 comentários:

  1. "Você não é o seu ego. Você não é suas crenças, suas memórias, seus pensamentos, tudo isso não pertence a você, tudo isso não é você. Pare um minuto para observar. Seus pensamentos realmente pertencem a você? Quem está por trás deles? Você é um vazio enorme por trás disso."

    O que me parece é que somos nada. Há nada por detrás. Não existe conteúdo oculto ou essência subjacente a nós.

    "Você já está morto e não percebe porque está preso na ilusão do que pensa ser a vida.
    Ter um coração batendo é estar vivo? Ter um cérebro funcionando é estar vivo? Uma máquina funcionando está viva ou morta? Pense sobre isso."

    Somos apenas uma máquina biológica sem livre-arbítrio e sem vontade, respondendo automatamente aos fatores externos e a nossa genética, sem poder de escolha, sem poder se autodeterminar entre fazer ou não fazer algo. Somos semelhantes a um computador (mente) que responde automaticamente quando recebe determinados comandos (estímulos externos e internos).

    Devido a esse determinismo a que toda a matéria e energia está confinada (incluindo a mente e o cérebro), acredito que há um destino, não no sentido de algo "esotérico" ou religioso, mas sim na acepção de estarmos todos (incluindo nós e a matéria inanimada) fadados a sofrer e gerar (relação dialética) uma sucessão de ações e reações da qual não termos nenhum controle, previsão e na, maioria das vezes, ciência de que está ocorrendo. Não passamos de bolas de sinuca numa mesa e o taco é a vida.

    Se essa premissa for verdadeira, então nem as eventuais meditações esporádicas que fizermos podem nós fazer escapar dessa sina, pois até aquelas estão definidas como de ocorrência necessária dentro desta.

    Logo, não há solução para a falta de liberdade e para o inferno da existência. O que tiver de acontecer, acontecerá, quer queiramos ou não.

    A meditação é apenas um instrumento para esquecer da vida e aliviar as tensões diárias, assim como um filme, jogo de vídeo-game ou lanche do Mc Donald. A única diferença é que a sensação que ela traz é a de paz interior ou de vazio, ao passo que as outras normalmente geram sensações de excitação, euforia ou alegria (primeiras) ou satisfação da gula (última). No entanto, não passam todas de meras fugas da realidade; drogas de ação imediata que nos geram um efeito de curto prazo (igual certos comprimidos que se acham em festas por aí...).

    Na minha visão pessimista (e realista) -- a qual pode estar errada, claro --, a vida é uma merda, somos "robôs", "eternamente insatisfeitos", sempre buscando "algo-sei-lá-o-que" para fugir do tédio, dor e vazio que é a vida; e para isso não há solução :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá leitor, ótimo comentário.A meditação que eu ensino aqui não é para fins de relaxamento apenas, mas para ultrapassar camadas da percepção. É a tentativa de chegar ao nível mais elevado de percepção da própria mente e corpo. Por que? Não há nenhum propósito realmente significativo. Apenas um impulso da própria mente (ilusão) de ver até onde vai a toca do coelho. E esse é o maior mistério da vida, a "morte". O que está por trás da sua mente?

      Excluir
  2. Olá Ojo (Brian)
    Voce teria aquele compilado que vc tinha feito dos posts do Pobretão que vc colocou nos posts da page dele uma vez?
    Eu sou do I.B. Eu fui tentar ver o link de novo só que lembrei que vc desativou seu perfil e ses comentários sumiram (vc tinha avisado isto só que eu esqueci. Eu tinha baixado aquele arquivo só que após formatar meu pc algumas vezes acabei perdendo.
    Poderia disponibilizar o link de download novamente?
    Grato desde já.
    Lucas C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://pt.scribd.com/document/329680222/O-guia-do-JPBF

      Excluir
    2. Ótima compilação, já li alguns posts dela. É sempre bom reler alguns posts, são muitas verdades destruidoras. A verdade é que não há saída para quem nasceu pobre e não-gênio. Mesmo eu, que tenho o QI um pouco acima da média, só levo ferro. Imagino um cara padrão brasileiro: pobre, feio, burro, nasceu numa favela... Se nem eu consigo sair da merda (pelo menos até agora), imagina um cara desses, macaco padrão bostileiro... Acho que eu nunca deveria ter tomado a pílula vermelha, isso fodeu minha vida, pois a partir do momento que você descobre a matrix, você não consegue mais esquecer isso e voltar a ser um acéfalo. Aqui não é como no filme, não dá pra se "desplugar", você está preso aqui para sempre (a não ser que morra). E morrer também não é fugir daqui porque "fugir" pressupõe que você permaneça vivo. Resumindo: não há fuga e é melhor não saber a verdade, pois não podemos mudá-la e isso nos faz sofrer. Agora, a partir do momento que você descobre a verdade, não há mais como esquecer e fingir que tá tudo bem. Acho que a real é para poucos, a manada não deveria saber disso, talvez só quem é rico ou muito gênio (que pode ficar rico usando sua genialidade) -- ou talvez ninguém... porque mesmo os ricos estão expostos a síndrome da adequação hedonista (sempre querer mais e nunca estar satisfeito) e chega uma hora que nem o dinheiro pode comprar coisas que você já não tenha... imagina chegar ao ponto de ter tudo e aí ver que tudo que tem não é nada; pois, no fundo, tudo é nada: somos apenas macacos ridículos num circo ostentando pedaços de galho e bananas.

      Excluir
    3. "Somos apenas macacos ridículos num circo ostentando pedaços de galho e bananas." ótima frase.

      A matrix é a própria mente e o funcionamento dela, como ela interpreta o mundo. Estamos sujeitos as regras da nossa realidade que é criada a partir de nosso cérebro. A parte boa é que você pode, inteligentemente, burlar, modificar, aceitar e se adaptar a certas coisas. Você tem duas opções, morrer ou aprender a lidar com sua realidade, assim como Neo aprendeu no filme. Você é a colher.

      Excluir
    4. Apenas mais uma ovelha do rebanho30 de agosto de 2017 16:32

      Verdade, como disse a criança para Neo, "a colher não existe".

      Morpheus falou uma vez para Neo que algumas regras podem ser burladas, outras podem ser estendidas sem serem quebradas e outras tem de ser aceitas como são...

      Excluir
  3. Apenas mais uma ovelha do rebanho31 de agosto de 2017 18:10

    Brian, o que você acha da ideia defendida por alguns de que o suicídio é a única decisão racional que uma pessoa poderia tomar porque a vida é só dor, sofrimento, tédio e nada? As outras opções seriam apenas adiamentos irracionais dolorosos do fim certo e inevitável.
    Seria essa assertiva pessimista demais ou apenas lógica? Somos covardes demais para tirar nossa vida ou será que persistir é inteligente? Qual sua opinião?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Defendo o suicídio do ego e suas ilusões, não do corpo. Se lembre que o suicídio do corpo é motivado pela mente e seus delírios. A vida não é SÓ dor, sofrimento,tédio e nada. Se a sua vida é assim significa que você não está vivendo direito, não está usando sua inteligência. Pare de focar em coisas ruins e sentimentos ruins pois isso não passa de outro delírio.

      Excluir
    2. Apenas mais uma ovelha do rebanho1 de setembro de 2017 08:26

      Talvez o segredo seja abandonar o ego e desejos irreais criados pela sociedade, voltando as origens e vivendo o mais proximo possível de como nossos abcestrais: zona rural, uma Fazenda, natureza, trabalho braçal, uma mulher simples (submediana) e dezenas de filhos. Esse parece ser o natural. Essa coisa de viver sozinho em gaiolas na cidade cansa e eh antinatural, talvez a causa da maioria dos males modernos.

      Excluir
  4. Apenas mais uma ovelha do rebanho31 de agosto de 2017 18:48

    Trilha sonora inteira de Matrix 1, inclusive com músicas inéditas no filme.
    Gosto de ouvir quando estou lendo, embora sejam meio macabras (se bem que a vida é macabra, não poderia ser diferente quando a verdade é revelada):

    https://www.youtube.com/watch?v=L25dEtL29I4&list=PL76997B6213E0B5EF&index=1

    ResponderExcluir
  5. Comendo e cagando... esperando a morte chegar...

    ResponderExcluir
  6. E ai cara! Texto muito bom!
    Quando tiver um tempo escreva algo sobre concentração e como focar a atenção e esvaziar a mente de pensamentos externos ao assunto ou ansiedades durante os estudos por exemplo. Sempre tive muita dificuldade em absorver conteúdo pois minha mente sempre se perde em pensamentos aleatórios e quando vou ver já perdi parte da explicação e fico boiando... sei lá, é difícil de explicar.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já existe um artigo sobre concentração, confira: http://muitoalemdamente.blogspot.com.br/2017/04/truque-simples-para-aumentar-o.html

      Excluir
  7. Coma meu cu. Muito Bom texto. 👏👏👏👏

    ResponderExcluir